Sobre a Faculdade

Há uns dias numa conversa com amigos fique em choque quando um deles mencionou que já tínhamos acabado o curso há 12 anos. O tempo passa rápido, mas depois de começar a trabalhar então é que passa mesmo a correr.
Este “choque” fez-me pensar na experiência que tive, e o que se segue é um breve resumo

O curso foi importante para a minha vida profissional
Até agora só tive trabalhos para os quais precisei do curso que tenho. Sem este não teria tido acesso às oportunidades que tive.

Gostei da experiência
Foi fácil? Não, mas no geral gostei de ter tido essa experiência. Foi bom a nível das aprendizagens que tive fora e dentro da faculdade e das amizades que criei ali.

O descanso é importante
Como andava sempre cansada sentia muita dificuldade em estar concentrada nas aulas e a estudar para as avaliações. Penso que ao longo do curso adormeci umas 3 vezes em sala de aula (sei que não é bonito assumir estas coisas, mas aqui partilho na base da sinceridade). A dificuldade da vida de estudante é que não há fins de semana. Há sempre um trabalho para fazer, um teste para o qual estudar, e no meio disto tudo também queremos estar com a família, com os amigos e ter os nossos momentos de ócio, e alguma coisa acaba por ter de ceder: o número de horas dormidas. Para quem está nessa fase, não descurem o descanso.

As amizades foram boas
Não são aquele tipo de amigos com quem falo todos os dias, contudo penso que serão para a vida. Fomos aos casamentos uns dos outros e agora (antes do Covid) começamos a rodada dos batizados.

Não gostei da praxe
Quanto maiores são as nossas expectativas em relação a algo, maior é a desilusão. Achei que ia ser muito ativa, mas depois de me inscrever na praxe não me identifiquei com aquilo e então acabei por ir muito poucas vezes.

Nunca precisei dos apontamentos que tirei durante o curso
Durante a licenciatura tive professores às várias cadeiras que foram informando que não deveríamos deitar fora os apontamentos que tínhamos, pois quando começássemos a trabalhar estes iriam servir de referência. Conclusão: tinha tudo direitinho, separado por capas pronto para ser usado. Ao fim de 5 anos com aquilo a ocupar espaço na casa dos meus pais ganhei coragem e pus tudo para reciclar. Nunca usei os mesmos porque na eventualidade de ter alguma dúvida faço uma pesquisa nesse momento no google. Não vou esperar pelo fim do dia ou pelo fim de semana para ir consultar apontamentos que já têm anos, contudo, sentir que preciso de fazer alguma consultar, é uma situação muito, muito rara.

Vícios

Todos nós temos pequenos rituais que nos trazem alguma satisfação ao nosso dia a dia. Apesar destes nem sempre serem muito saudáveis, sempre servem para descontrair um bocadinho e, nesta fase em que as nossas vidas são controladas pela pandemia, distrair-nos um pouco do vírus.

Faça você mesmo
Não sei se já tentaram contratar alguém para fazer algum trabalho em casa, mas por vezes não é fácil – as pessoas que trabalham nestes ramos têm sempre muitas obras, pelo que encontrar alguém com disponibilidade é milagre, há muita gente neste ramo que não sabe o que está a fazer (a pessoa que inicialmente tratou da canalização da minha cozinha dizia que estava à vontade a trocar canos e conclusão, não estava, andou dois dias a tentar remediar uma situação para chegar ao fim e eu ter de contratar um canalizador à mesma. Ficou mais caro assim do que se tivesse chamado logo o canalizador), e em certas obras mais pequenas o custo da mão de obra não é justificável o tipo de trabalho que pretendemos – decapar, pintar, etc.
Antes de ter uma casa não achava piada nenhuma a este tipo de coisas, mas desde que tenho a minha própria casa todos os anos tenho um projeto meu, que faço de A a Z. Dado que não tenho muita experiência são coisas mais simples, que eu consigo começar e terminar sozinha, e o gosto que estou a apanhar a isto, está a fazer com que ando constantemente no Instagram à procura de mais ideias.

Instagram
Como mencionei em cima, o Instagram é a aplicação em que claramente tenho passado mais tempo. Estou sempre a guardar ideias tanto de projetos de casa, mas também de receitas, wishlist de maquilhagem e outro milhão de coisas em que gastar dinheiro.

Agendas
Algumas pessoas relaxam meditando, outras a fazer desporto, outras a cozinhar e trabalhar nas minhas agendas é a forma como esqueço o mundo durante um minutos.

Documentários
Sobre tudo: questões económicas, ambientais, sociais… não faltam por aí documentários de qualidade.

True Crime
O marido fica um pouco assustado com a qualidade de conteúdo sobre crimes que consigo consumir.

Youtube
Tenho sempre uma aba no chrome com qualquer coisa do Youtube. Não preciso de estar a ver, basta estar só a ouvir algo, mas o Youtube é de longe a plataforma que mais consumo para entretimento.

E desse lado, que vícios (saudáveis) têm tido ultimamente?

Páginas de Instagram onde aprendo alguma coisa

A rede social que visito mais é, de longe, o Instagram (digo visitar porque não participo muito com a minha conta pessoal). Para além de haver menos drama do que no Facebook (tenho família que se exalta muito a comentar notícias de política), penso que percorrer o feed seja mais rápido, pois como é baseado em fotografia e vídeo, não há muito texto para ler.

Assim, e porque também gosto destas plataformas também para aprender coisas novas, hoje partilho alguns perfis que penso que sejam interessantes para aqueles que tenham interesses semelhantes aos meus:

Myka Meier
Para sabermos estar com toda a gente e em qualquer momento, gosto de aprender sobre etiqueta. Penso que é uma temática sobre a qual todos nós deveríamos querer saber mais, independentemente do estrato social, pois saber estar com educação e elegância em qualquer circunstância nunca ficou mal a ninguém . Assim, a minha favorita neste campo é a Myka Meier. Adoro os vídeos, tanto do Instagram como do Youtube, pois acho que são muito informativos, e gosto muito da personalidade que ela transmite nestas plataformas.
Outra pessoa que sigo nesta temática, mas mais no Youtube é a Jamila Musayeva, pois Instagram é mais virado para a partilha do seu dia a dia.

The Financial Diet
Apesar de ser baseado nos E.U.A, e a nível de produtos financeiros eles têm coisas que não se aplicam à nossa realidade, há sempre alguma ideia ou alguma informação que conseguimos retirar para a nossa realidade. Para além de seguir no Insta, também sigo no Youtube.

Nádia Sepúlveda
Uma miúda jovem, portuguesa, tem um gato – logo aqui tem ponto extra – e é médica de família. Sigo tanto no Instagram e no Youtube, e para quem gosta de ver assuntos relacionados com medicina com um discurso acessível e descomplicado, fica aqui a recomendação.

Que páginas gostam de seguir no Instagram?

Update

Como estamos a entrar no primeiro trimestre do ano, penso que seja altura de fazer um ponto de situação sobre como estão a correr as coisas deste lado.
Quanto aos objetivos que partilhei no dia 04 de janeiro na publicação Objetivos para 2021, estamos assim:

Engravidar
Estou a tratar disto. Tenho médico agendado e depois logo se verá os restantes passos.

Terminar 10 produtos de beleza
O objetivo era terminar:
. 1 Creme de Corpo – Feito, já quase a terminar o segundo (estava a usar os dois ao mesmo tempo);
. 1 Creme de Rosto – Feito;
. 1 Shampoo Seco;
. 3 vernizes – Terminei 1, outro caiu ao chão e partiu-se (mas só tinha mais uma ou duas utilizações, também estava quase a terminar);
. 1 gloss;
. 1 batom hidratante – Feito, com o segundo a terminar ainda este mês;
. 1 batom de cor.
Acho que estou num bom ritmo. Estou entusiasmada a experimentar produtos novos, que estou a usar em substituição dos itens terminados (já os tinha cá em casa, e um creme estou a usar agora pedi ao Pai Natal de presente). Queria mesmo dar uma “coça” aos itens de maquilhagem, mas a este ritmo não estou a ver quando isso irá acontecer.

Ler 12 livros
Até agora apenas terminei 1 e comecei a ler o segundo. Estive um mês de fevereiro um pouco preenchido e não tive tempo para me dedicar à leitura. O objetivo é compensar agora em Março.

Terminar de arrancar os dentes do siso
Isto era algo que tinha começado em 2020 e ainda não tinha terminado. Em janeiro concluí este capítulo, e estou mega feliz. Não foi fácil, principalmente tirar os de baixo. Nunca mais na vida me chateio com isto. Para quem anda a adiar isto: não o façam. É chato, obvio que ninguém gosta de arrancar dentes, mas quanto mais breve o fizerem mais rapidamente fecham este capítulo.

Passar um fim de semana num sítio novo
Estamos em confinamento desde janeiro, pelo que ainda não fomos a lado nenhum. Quando decidir passar o fim de semana fora gostaria de experimentar restaurantes locais, ver algum museu ou atração que exista, e ter uma experiência que vá para além do ver o hotel e fachadas.

Fazer uma formação de reciclagem de conhecimentos
Estou a frequentar uma formação que terminará agora em Março, por isso acho que posso considerar este objetivo quase terminado.

Corrigir os tons das bases
Aqui optei por comprar uma base mais clara das que tenho e usar esta para, no momento da aplicação clarear as restantes. Optei assim porque o produto que tinha da Body Shop acabou, e já que ia ter de comprar outra coisa para resolver isto, preferi assim por dois motivos: consigo o mesmo fim desejado, e no inverno posso só usar a mais clara e facilmente com os restante produtos (pó, etc) consigo ajustar ao tom desejado.

Desse lado, o que já conseguiram concretizar da vossa lista de desejos para este ano?

Produtividade

Há uns dias estava a ver o vídeo sobre os 5 novos hábitos a iniciar em 2021 do canal Mariana’s Corner (um aparte, a Mariana é portuguesa e conteúdo é de qualidade, por isso fica já aqui a referência para quem gosta de ler/ver temas relacionados com produtividade), e ela menciona que a produtividade tem ciclos: às vezes conseguimos concretizar imensas coisas, e outras alturas há em que o meu dia no Google Calendário não tem uma única tarefa concluída.

Isto fez-me pensar sobre a minha realidade. Que factores influenciam estes fluxos pelos quais eu também passo, e como tentar minimizá-los. Talvez por ser inverno e estamos numa altura em que os dias estão muito frios vejo que, pelo menos nesta altura do ano, o que mais me limita é o frio: não me deixa concentrar, quando finalmente consigo focar em algo é sempre por curtos períodos de tempo, o esforço que tenho de fazer para manter essa atenção é maior, e no que toca a tarefas domésticas, a vontade de andar em cima das coisas é menor. Isto faz com que tenha dias em que tenho mil tarefas para fechar (as coisas têm de ser fechadas à mesma, quer eu as faça hoje ou amanhã), e internamente há sempre um sentimento de desilusão comigo mesma, pois sinto que consigo fazer melhor. Como este está a ser o primeiro inverno nesta casa, não tinha noção que a questão do aquecimento era tão urgente (era uma obra que estava pensada, mas mais lá para a frente).

Penso que para outras pessoas o facto de os dias serem cinzentos ou então mais curtos, também geram impacto sobre o seu bem estar geral, que por sua vez influência a sua predisposição para ser mais produtivo.

Há alguns dias resolvemos a questão do aquecimento cá de casa – falta mudar umas janelas para que o calor gerado não “fuja” – mas já sinto diferenças. Apesar de ter aquecimento há uns 4 dias, hoje já fiz mais coisas que 2 dias juntos das semana passada.

E desse lado, o que sentem que vos limita mais?

Quando começam a ler um livro e não gostam da história…

o que fazem? Fazem um esforço (hercúleo) e terminam-no, ou desistem?

Eu não consigo deixar livros a meio, mas isto acaba por fazer com que quebre o ritmo de leitura, pois acabo por demorar muito tempo com algo que numa situação normal acabaria rapidamente. Por exemplo, recentemente acabei de ler o “The Chemist” pela Stephanie Meyer e apesar de o livro ter uma pontuação de 4 estrelas no Goodreads, ao fim de 3 capítulos percebi que não ia gostar da história. A partir daí foi um problema, pois arranjava sempre algo para fazer que me desse mais gozo que investir tempo numa história da qual não estava a gostar. Então, demorei 2 meses e meio a ler algo que normalmente demoraria uma ou duas semanas para chegar ao fim e confirmar-se que aquele livro não era para mim.

P.S.: Nada contra a história. Claramente que há muita gente que gostou dela, pois tanto no Goodreads como no Amazon o feedback é positivo – o que me levou a compra-lo. Isto é meramente gosto pessoal, pois não me identifiquei com ação, só isso. Se virem que é algo dentro do que gostam, força. Não quero que sintam que isto é uma crítica ao gosto de alguém, que não é.

Melhoria continua: edição pessoal

Deixo já o aviso que esta não vai ser a única partilha deste género. O próximo vai ser sobre a paciência, e isto já me está a parecer aqueles Magnum dos 7 pecados mortais que a Olá lançou há uns anos atrás.

Acho que é comum a todos termos os nossos momentos de auto-análise e pensarmos no que gostaríamos de mudar na nossa personalidade. No meu caso tenho três ou quatro características que nem sempre me facilitam a vida. A principal acho que é a falta de disciplina, e é sobre essa que vou falar um bocadinho hoje.

Opinião pessoal: acho que a disciplina é dos traços de personalidade que mais contribui para no nosso sentimento de realização pessoal, que por sua vez impacta na nossa felicidade. Toda a gente tem, o que nos distingue é a “quantidade” que cada um tem.

Como toda a gente, tenho objetivos e durante a concretização destes é uma luta. Mesmo que imagine o quão feliz vou ficar se alcançar aquilo, há coisas que para mim são um braço de ferro. Por acaso até vou conseguindo ter a vontade de não desistir, contudo, vejo que prazos alongados funcionam melhor. Tenho um momento de resistência no início que tenho sempre que ultrapassar. Acabo por chegar lá, mas se fosse mais disciplinada acho que conseguia alcançar o que quero mais rapidamente. De referir que isto só me acontece com projetos pessoais. Quanto a trabalho como a ordem vem “de fora” consigo rapidamente por-me a mexer.

Acho também que é importante referir que há várias dimensões que podem explicar o porquê de alguém são ser disciplinado: podemos estar cansados, a nossa alimentação não estar a ser a mais nutritiva, depressão, ansiedade, já não nos identificarmos com o objetivo definido, se calhar estamos a trabalhar em muitas metas ao mesmo tempo e consequentemente podemos estar a sentir-nos assoberbados com tudo, etc.

Se alguém que esteja a ler isto sinta que também trava a mesma luta com disciplina, deixo algumas referências que leio quando sinto que preciso de foco. De mencionar que são todos em inglês. Não encontrei matéria de referência sobre isto em português. Se conhecerem podem deixar nos comentários.

Forbes.com

Consulting.com

Theladders.com

WanderlustWorker.com

Maquilhagem: 2021

Como é tradição aqui no meu cantinho de internet, todos os anos faço inventário à maquilhagem que tenho. O objectivo é perceber o que tenho e tentar reduzir produtos que não têm tanta rotatividade. Como tenho registo desde 2018 penso que também seja engraçado ver a evolução ao longo dos anos.

O registo, já incluindo o inventário de 2021 é:

27.01.2018 01.01.2019 01.01.2020 01.01.2021
Amostras 12 8 6 2
Primers rosto 2 2 2 1
Base líquida 2 4 4 4
CC Cream 1 0 1 1
Base em Pó 1 1 1 1
Correctores 3 3
2 2
Blush 10 10 11 11
Iluminador 2 2 2 2
Contorno 1 1 1 1
Primers olhos 2 2 2 2
Paletas  11 11 8 8
Sombras individuais 7 7 12 12
Eyeliner 1
Lápis Olhos 4 4 4 4
Máscara 1 1 1 1
Batom hidratante 3 4 5 3
Batom stick 38 39 42 42
Batom líquido 12 15 15 15
Gloss 5 5 5 6
Lápis lábios 4 4 4 5
Desmaquilhantes 3 3 2 2
Cremes hidratantes (rosto) 2 1 1 2
Tonners 3 2 2 0
Vernizes 32 35 34 34
Hidrantes cabelo 2 3 1 1
Perfumes 4 4 4 5
Total 165 168 175 171

Algumas notas:

Como já partilhei na publicação “Maquilhagem: 2020 – Conclusão” os meu objetivo é terminar 10 produtos, entre os quais:
. 1 amostra base;
. 1 creme corpo (estou quase a terminar dois, por isso acho que este vai ser fácil);
. 1 creme de rosto;
. 1 batom hidratante;
. 1 verniz (idealmente queria terminar mais, mas dado que tenho muitos e gosto de cores diferente todas as semanas, terminar um que seja demora algum tempo);
. 1 gloss (tenho um que está quase a acabar, mas com esta coisa de usar máscara em casa, é coisa para ainda demorar um pouco);
. 1 batom de cor.
Se eu conseguir terminar estes produtos, são 7 coisas que vou ter a menos daqui a um ano, o que irá fazer de mim uma rapariga muito feliz pois irei ter menos coisas que em 2018. É como se o tempo andasse para trás 🙂

. Não sinto grande impacto de toners, por isso acabei com os dois que tinha e não estou a pensar em comprar mais nos próximos tempos;

. Tenho mesmo que me focar em produtos em que tenho múltiplos como bases, por exemplo. Como vou fazer isso, numa altura em que uso mais Skin Care e menos maquilhagem, não sei.

E desse lado, que produtos querem terminar em 2021?


Objectivos para 2021

Tal como aconteceu em 2019 e em 2020, hoje é dia de partilhar convosco os meus objetivos para 2021. Dado que ainda ninguém sabe muito bem como é que este ano irá correr devido ao Covid, tentei pensar em objetivos mais pequenos, cuja concretização dos mesmos não seja influenciada pela pandemia atual.

Engravidar
Mais uma lista de objetivos em que isto aparece aqui. Eu e o marido achamos que já estamos numa posição em que a vida está mais alinhada, e por isso ambos achamos que 2021 – se a natureza deixar, pois estas coisas não estão sob o nosso controlo – vai ser o ano em que avançamos mesmo com isto. Em Dezembro vamos ver como isto correu.

Terminar 10 produtos de beleza
No ano passado estava mesmo convencida que em 2020 iria terminar 10 produtos de maquilhagem, mas depois em Março o Covid chegou ao nosso país e a partir daí nunca mais ninguém foi a lado algum. Isto só por si não era impeditivo de conseguir realizar esse objetivo, pois podia ter continuado a usar maquilhagem em casa, mas eu não sou desse tipo de pessoa. O vestir roupa já sou eu a fazer um esforço. Usar roupa e maquilhagem para ir do quarto para a sala, da sala à cozinha e no final do dia regressar ao quarto para mim é irrealista.
Assim, e dadas as incertezas, este ano vou definir que quero terminar com 10 produtos de beleza. Este ano o conceito é mais abrangente pois no ano passado penso que só terminei um ou dois produtos de maquilhagem, num total de 12 produtos terminados. Dado que já estive a olhar para o que tenho, em 2021 quero terminar:
. 1 Creme de Corpo;
. 1 Creme de Rosto;
. 1 Shampoo Seco;
. 3 vernizes;
. 1 gloss;
. 1 batom hidratante;
. 1 batom de cor.

Eu sei que isto dá 9 produtos e não 10, mas estes são os que quero mesmo terminar. Os restantes serão aleatórios.

Ler 12 livros
Isto dá 1 por mês, o que acho extremamente razoável.

Terminar de arrancar os dentes do siso
Quantas vezes viram este objetivo partilhado por essa internet fora? Não muitas, mas eu aqui sou pela transparência 🙂
A minha dentista disse que eu preciso de arrancar os sisos, e nesta fase só já me falta arrancar um. Não vai ser fácil (os outros 3 não foram), mas tem de ser e quero fechar este capitulo o mais rápido possível. A consulta já está marcada e agora é só desejar uma recuperação rápida.

Passar um fim de semana num sítio novo
Com estas proibições de sair do concelho vi que algumas pessoas aproveitaram para passarem fins de semana fora. Como gostei da ideia, assim que o tempo melhorar, com proibição ou não de se sair da zona de residência, vou atirar-me aí para um sítio qualquer. Qual? Não sei ainda. Vou ver algo que fica no raio de 2 horas do Porto, que dado a ser um fim de semana não quero perder muito tempo na deslocação.

Fazer uma formação de reciclagem de conhecimentos
Já terminei a licenciatura há mais de 10 anos e sinto a necessidade de relembrar algumas coisas com as quais não trabalho diretamente ou frequentemente. Assim, vamos lá atualizar informação.

Corrigir tons das bases
Eu tenho por hábito achar que sou mais morena do que sou realmente, e isto influência a minha escolha na hora de escolher bases. O que acaba por acontecer é que tenho de ter gotas para clarear a base (tenho usado o produto da Body Shop para este fim). Dado que em alguns frascos já tenho espaço para adicionar o produto diretamente, quero fazer isso. O objectivo é ter um tom customizado a mim, e também poupar uma etapa de manhã (quando uso base).

A estes objetivos todos, num ano normal, iria dizer também que queria visitar mais uma capital europeia, mas dado que para viajar ainda há muitos constrangimentos, vou deixar isso para quando terminar a pandemia.

E desse lado, que objetivos têm para este ano que agora começa?

2020

Que ano, não foi?
Quando há um ano atrás começamos a ouvir sobre um vírus que obrigou uma cidade Chinesa a fazer quarentena, nunca imaginamos que numa questão de meses seria a nossa vez de estarmos trancados em casa.

Como aconteceu com toda a gente, este ano não correu como eu o tinha pensado. Houve questões de trabalho que foram por água abaixo, estava a contar fazer uma ou duas viagens que também não aconteceram, queria ter estado mais vezes com a minha avó mas sinceramente agora até tenho medo, e uma data de outras coisas, contudo, e apesar de ter sido um ano mau para muita gente, eu tive um bom 2020.

Estive mais calma, pois os últimos três anos foram de grande desgaste e stress. Quando estamos a trabalhar neste tipo de ambiente 11/12 horas por dia, às vezes 6 dias na semana, não há motivação e energia para muito mais. O cansaço era muito, tinha dias de chegar a casa e ir logo para a cama, não tinha cabeça para me dedicar à família ou aos amigos. Queria fazer coisas que me fizessem feliz e sentir que estou a aproveitar a oportunidade de viver que tenho, mas tudo o que tinha entregava no trabalho.
Este ano, porque fomos obrigados a parar e o estar mais por casa ajuda muito nisso, senti-me mais tranquila, consigo ter passatempos o que é uma coisa que para além de me relaxar, trás uma grande satisfação pessoal, consigo falar com as pessoas que gosto sem sentir que elas estão a demorar-se muito e que tenho um milhão de coisas para fazer a seguir.

Consegui focar-me no que tenho. Como compramos casa no ano passado, em 2020 tivemos a comprar mobília, a organizar o nosso espaço e as nossas coisas. Este meter a mão na massa faz com que sejamos confrontados com a tralha que temos. Ele dedicou-se ao OLX, eu por lado tentei dar uso ao que tenho. Nos produtos de beleza consegui uma redução das coisas que tenho. Lá no fundo achei que ia ser uma redução maior, mas como usar maquilhagem foi uma coisa regular só até Março, o consumo desse tipo de produto – pelo menos para mim – estagnou.

Dou mais valor ao marido . Tive muita sorte em esta pessoa se ter cruzado no meu caminho, mesmo. E por tudo o que este ano nos atirou, mais orgulho e felicidade sinto em ter este ser humano ao meu lado. É estranho estar aqui a partilhar sentimentos com pessoas que não conheço, daí a dedicatória ser curta e pouco personalizada.

Conheço-me melhor, pois com mais tempo para pensar no futuro, e ao não andar a correr de um lado para o outro em piloto automático, sinto que tive uma oportunidade para pensar nos objetivos que tinha traçado para os próximos anos. Alguns deixei cair, pois chego à conclusão que não sou a mesma pessoa que era há uns anos atrás, e em relação a outros confirmei a vontade que tenho os concretizar.

Isto foi o que tirei deste ano. Do vosso lado, que aprendizagens levam de 2020?