Um pouco de realidade

Gosto imenso do que faço, não gosto das condições em que o faço: a empresa é desorganizada, a nível de condições não é nada de especial, há muita rotatividade (na semana passada despediram-se duas pessoas). Estive a trabalhar um ano só com uma semana de férias. Estou cansada, exausta, sem paciência, desmotivada. Apesar de gostar imenso do que faço não me apetece voltar ao trabalho para a semana. O meu problema não é, nem nunca foi, trabalhar. Quero é ter outra configuração de trabalho.

Com a publicação de hoje vão pensar que quem está deste lado é Carochinha, mas não. Normalmente sou a pessoa que está sempre a puxar os outros, a tentar ver todas as situações pelo copo meio cheio mas devido ao cansaço estou numa fase em que não consigo. Deixem-me. Hoje só vai sair disto.

Estou a escrever isto no primeiro dia da minha semana de férias, a única que vou ter este verão. Não são bem as férias que preciso, pois estou com a casa em obras, então tenho de acordar cedo, não posso estar na sala a fazer nada (como queria estar). Estou confinada a uma divisão com o bónus de ter montanhas de pó para limpar. Apesar de estar feliz porque para além de amar fazer manutenção à minha casa e serem obras que estavam para ser feitas há 1 ano, é muito chato ter tudo sujo. Vai valer a pena, mas como estou cansada também não tenho paciência para isto.

Quero ter tempo para todos os milhares de objetivos, mas trabalho 12 horas por dia + transportes de um lado para o outro. Neste momento estou à procura de trabalho que seja híbrido ou remoto. Só o poder ficar em casa alguns dias por semana ia ajudar na minha motivação, pois neste momento acho parvo ter que ir ao escritório ter de fazer um trabalho que posso fazer a partir de casa, para além das greves constantes da CP por vezes adicionarem um nível de dificuldade no meu dia a dia que eu dispensava.

Quero perder peso mas como estou numa fase em que preciso de algo que me anime, não consigo. Comer é por vezes o ponto alto do meu dia. Como almoço ao computador, a trabalhar, aproveito o jantar para extravasar o stress do dia. Quero fazer exercício, mas acordo às 06h20, só paro de trabalhar por volta das 21h00, não tenho tempo nem vontade de fazer exercício.

Queria vir aqui mais vezes, afinal de contas isto é o meu escape, e vocês vêem como está a correr.

Só tenho tempo para trabalhar, tomar banho jantar e dormir algumas horas. Os fins de semana são para ir às compras e por a casa em ordem para a semana correr o mais oleada possível. Estou a ver a vida passar ao lado e não estou a aproveitar nada.

É uma fase, eu sei. Só queria um pouco de descanso. Pode ser que nas próximas férias as coisas corram melhor.

Para quem chegou até aqui, obrigada pelo ombro e pela paciência.

Eu já não vinha aqui há tanto tempo

que já não me lembrava como entrava aqui na conta. Também tive de criar uma nova palavra passe porque também já não me lembrava da antiga.

Estou mesmo com muitas saudades. Tenho muitas ideias de conteúdo que acho que são boas mas nesta fase só tenho tempo de as escrever num excel para um dia mais tarde, com tempo vir aqui escrever.

Desse lado, como estão? Um pequeno resumo meu:
. Andava a morrer de cansaço e com uma queda de cabelo brutal. Fui ao médico e tenho hipertireoidismo. Ainda estou na fase inicial, vou fazer mais exames para se perceber melhor como estou e o que vamos fazer a seguir;
. A festa de natal da empresa foi virtual e chamar festa ao que ví é criar muita expectativa para depois ser aquela porcaria. Ficava muito mais satisfeita com um cabaz e tinha poupado quase 2 horas da minha vida;
. Nestes 5 dias que se avizinham tenho uns 5 almoços e jantares de natal. É das melhores coisas desta altura do ano: matar saudades de pessoas com as quais não estou diariamente;
. Tenho pensado na rapidez com que o tempo passa. Ainda ontem era adolescente e 20 anos passaram num instante, e não tarda nada estou na meia idade. Só de pensar fico com ansiedade. Eu estou a adorar ser adulta e está a passar muito rápido. Não tarda muito já não estou aqui e ainda tenho tanto para fazer;
. Vou aprender uma nova língua, só pelo desafio de aprender algo que é totalmente diferente do português. Quero aprender uma língua asiática (chinês, japonês ou coreano). Ainda ando a pensar qual será. Só tenho pena de não ter muito tempo para dedicar a isto (talvez 2 ou 3 horas por semana, o que é quase nada. Pouco se evoluiu a aprender uma língua nova com tão tempo.

Este fim de semana tenho um milhão de coisas para fazer mas nos intervalos vou tentar preparar o conteúdo que tinha previsto para este mês.

Preciso de férias!!!

Pequeno Desabafo #2

Sinto sempre uma pequena (é mentira, é mesmo grande) irritação quando as pessoas põe a bandeira nacional ao contrário. Como é possível crescer com esse símbolo a vida toda e mesmo assim não sabem colocar a bandeira corretamente?

Para quem ainda está na dúvida: o verde é para a esquerda e o vermelho fica sempre do lado direito.
Também já vi uma que para além de ter as cores ao contrário também estava de pernas para o ar (faltam-me as palavras para comentar esse caso).

Bandeira de Portugal - Baixar em PNG no Bandeira.net

Pequeno desabafo #1

Vamos a uma loja e gostamos de um artigo. No item em si, ou no sítio onde esse artigo se encontra está também o preço (não quero estar a enganar ninguém, mas penso que por lei é obrigatório os artigos terem sempre o preço exposto).

No Instagram ou Facebook, há lojas que partilham os artigos que têm para venda mas não colocam o preço, dando essa informação apenas por mensagem privada.

https://www.instagram.com/p/BI4uy0OA-Jp/
Imagem retirada do Instagram do link https://www.instagram.com/p/BI4uy0OA-Jp/

Não percebo a lógica. Imaginem andarem nas compras e terem de andar sempre atrás do repositor para saberem o preço de todos os artigos antes de os colocarem no carrinho.
Para além disso, há todo o trabalho e o tempo que se perde a responder a mesma coisa a N mensagens, quando parte das pessoas não tem interesse no artigo assim que sabe o valor – ou seja, foi literalmente tempo perdido, pois o investimento daquele recurso – tempo – não se vai traduzir numa venda.

Desse lado, alguém sabe o porquê disto?

Sobre a Faculdade

Há uns dias numa conversa com amigos fique em choque quando um deles mencionou que já tínhamos acabado o curso há 12 anos. O tempo passa rápido, mas depois de começar a trabalhar então é que passa mesmo a correr.
Este “choque” fez-me pensar na experiência que tive, e o que se segue é um breve resumo

O curso foi importante para a minha vida profissional
Até agora só tive trabalhos para os quais precisei do curso que tenho. Sem este não teria tido acesso às oportunidades que tive.

Gostei da experiência
Foi fácil? Não, mas no geral gostei de ter tido essa experiência. Foi bom a nível das aprendizagens que tive fora e dentro da faculdade e das amizades que criei ali.

O descanso é importante
Como andava sempre cansada sentia muita dificuldade em estar concentrada nas aulas e a estudar para as avaliações. Penso que ao longo do curso adormeci umas 3 vezes em sala de aula (sei que não é bonito assumir estas coisas, mas aqui partilho na base da sinceridade). A dificuldade da vida de estudante é que não há fins de semana. Há sempre um trabalho para fazer, um teste para o qual estudar, e no meio disto tudo também queremos estar com a família, com os amigos e ter os nossos momentos de ócio, e alguma coisa acaba por ter de ceder: o número de horas dormidas. Para quem está nessa fase, não descurem o descanso.

As amizades foram boas
Não são aquele tipo de amigos com quem falo todos os dias, contudo penso que serão para a vida. Fomos aos casamentos uns dos outros e agora (antes do Covid) começamos a rodada dos batizados.

Não gostei da praxe
Quanto maiores são as nossas expectativas em relação a algo, maior é a desilusão. Achei que ia ser muito ativa, mas depois de me inscrever na praxe não me identifiquei com aquilo e então acabei por ir muito poucas vezes.

Nunca precisei dos apontamentos que tirei durante o curso
Durante a licenciatura tive professores às várias cadeiras que foram informando que não deveríamos deitar fora os apontamentos que tínhamos, pois quando começássemos a trabalhar estes iriam servir de referência. Conclusão: tinha tudo direitinho, separado por capas pronto para ser usado. Ao fim de 5 anos com aquilo a ocupar espaço na casa dos meus pais ganhei coragem e pus tudo para reciclar. Nunca usei os mesmos porque na eventualidade de ter alguma dúvida faço uma pesquisa nesse momento no google. Não vou esperar pelo fim do dia ou pelo fim de semana para ir consultar apontamentos que já têm anos, contudo, sentir que preciso de fazer alguma consultar, é uma situação muito, muito rara.

Vícios

Todos nós temos pequenos rituais que nos trazem alguma satisfação ao nosso dia a dia. Apesar destes nem sempre serem muito saudáveis, sempre servem para descontrair um bocadinho e, nesta fase em que as nossas vidas são controladas pela pandemia, distrair-nos um pouco do vírus.

Faça você mesmo
Não sei se já tentaram contratar alguém para fazer algum trabalho em casa, mas por vezes não é fácil – as pessoas que trabalham nestes ramos têm sempre muitas obras, pelo que encontrar alguém com disponibilidade é milagre, há muita gente neste ramo que não sabe o que está a fazer (a pessoa que inicialmente tratou da canalização da minha cozinha dizia que estava à vontade a trocar canos e conclusão, não estava, andou dois dias a tentar remediar uma situação para chegar ao fim e eu ter de contratar um canalizador à mesma. Ficou mais caro assim do que se tivesse chamado logo o canalizador), e em certas obras mais pequenas o custo da mão de obra não é justificável o tipo de trabalho que pretendemos – decapar, pintar, etc.
Antes de ter uma casa não achava piada nenhuma a este tipo de coisas, mas desde que tenho a minha própria casa todos os anos tenho um projeto meu, que faço de A a Z. Dado que não tenho muita experiência são coisas mais simples, que eu consigo começar e terminar sozinha, e o gosto que estou a apanhar a isto, está a fazer com que ando constantemente no Instagram à procura de mais ideias.

Instagram
Como mencionei em cima, o Instagram é a aplicação em que claramente tenho passado mais tempo. Estou sempre a guardar ideias tanto de projetos de casa, mas também de receitas, wishlist de maquilhagem e outro milhão de coisas em que gastar dinheiro.

Agendas
Algumas pessoas relaxam meditando, outras a fazer desporto, outras a cozinhar e trabalhar nas minhas agendas é a forma como esqueço o mundo durante um minutos.

Documentários
Sobre tudo: questões económicas, ambientais, sociais… não faltam por aí documentários de qualidade.

True Crime
O marido fica um pouco assustado com a qualidade de conteúdo sobre crimes que consigo consumir.

Youtube
Tenho sempre uma aba no chrome com qualquer coisa do Youtube. Não preciso de estar a ver, basta estar só a ouvir algo, mas o Youtube é de longe a plataforma que mais consumo para entretimento.

E desse lado, que vícios (saudáveis) têm tido ultimamente?

Páginas de Instagram onde aprendo alguma coisa

A rede social que visito mais é, de longe, o Instagram (digo visitar porque não participo muito com a minha conta pessoal). Para além de haver menos drama do que no Facebook (tenho família que se exalta muito a comentar notícias de política), penso que percorrer o feed seja mais rápido, pois como é baseado em fotografia e vídeo, não há muito texto para ler.

Assim, e porque também gosto destas plataformas também para aprender coisas novas, hoje partilho alguns perfis que penso que sejam interessantes para aqueles que tenham interesses semelhantes aos meus:

Myka Meier
Para sabermos estar com toda a gente e em qualquer momento, gosto de aprender sobre etiqueta. Penso que é uma temática sobre a qual todos nós deveríamos querer saber mais, independentemente do estrato social, pois saber estar com educação e elegância em qualquer circunstância nunca ficou mal a ninguém . Assim, a minha favorita neste campo é a Myka Meier. Adoro os vídeos, tanto do Instagram como do Youtube, pois acho que são muito informativos, e gosto muito da personalidade que ela transmite nestas plataformas.
Outra pessoa que sigo nesta temática, mas mais no Youtube é a Jamila Musayeva, pois Instagram é mais virado para a partilha do seu dia a dia.

The Financial Diet
Apesar de ser baseado nos E.U.A, e a nível de produtos financeiros eles têm coisas que não se aplicam à nossa realidade, há sempre alguma ideia ou alguma informação que conseguimos retirar para a nossa realidade. Para além de seguir no Insta, também sigo no Youtube.

Nádia Sepúlveda
Uma miúda jovem, portuguesa, tem um gato – logo aqui tem ponto extra – e é médica de família. Sigo tanto no Instagram e no Youtube, e para quem gosta de ver assuntos relacionados com medicina com um discurso acessível e descomplicado, fica aqui a recomendação.

Que páginas gostam de seguir no Instagram?

Update

Como estamos a entrar no primeiro trimestre do ano, penso que seja altura de fazer um ponto de situação sobre como estão a correr as coisas deste lado.
Quanto aos objetivos que partilhei no dia 04 de janeiro na publicação Objetivos para 2021, estamos assim:

Engravidar
Estou a tratar disto. Tenho médico agendado e depois logo se verá os restantes passos.

Terminar 10 produtos de beleza
O objetivo era terminar:
. 1 Creme de Corpo – Feito, já quase a terminar o segundo (estava a usar os dois ao mesmo tempo);
. 1 Creme de Rosto – Feito;
. 1 Shampoo Seco;
. 3 vernizes – Terminei 1, outro caiu ao chão e partiu-se (mas só tinha mais uma ou duas utilizações, também estava quase a terminar);
. 1 gloss;
. 1 batom hidratante – Feito, com o segundo a terminar ainda este mês;
. 1 batom de cor.
Acho que estou num bom ritmo. Estou entusiasmada a experimentar produtos novos, que estou a usar em substituição dos itens terminados (já os tinha cá em casa, e um creme estou a usar agora pedi ao Pai Natal de presente). Queria mesmo dar uma “coça” aos itens de maquilhagem, mas a este ritmo não estou a ver quando isso irá acontecer.

Ler 12 livros
Até agora apenas terminei 1 e comecei a ler o segundo. Estive um mês de fevereiro um pouco preenchido e não tive tempo para me dedicar à leitura. O objetivo é compensar agora em Março.

Terminar de arrancar os dentes do siso
Isto era algo que tinha começado em 2020 e ainda não tinha terminado. Em janeiro concluí este capítulo, e estou mega feliz. Não foi fácil, principalmente tirar os de baixo. Nunca mais na vida me chateio com isto. Para quem anda a adiar isto: não o façam. É chato, obvio que ninguém gosta de arrancar dentes, mas quanto mais breve o fizerem mais rapidamente fecham este capítulo.

Passar um fim de semana num sítio novo
Estamos em confinamento desde janeiro, pelo que ainda não fomos a lado nenhum. Quando decidir passar o fim de semana fora gostaria de experimentar restaurantes locais, ver algum museu ou atração que exista, e ter uma experiência que vá para além do ver o hotel e fachadas.

Fazer uma formação de reciclagem de conhecimentos
Estou a frequentar uma formação que terminará agora em Março, por isso acho que posso considerar este objetivo quase terminado.

Corrigir os tons das bases
Aqui optei por comprar uma base mais clara das que tenho e usar esta para, no momento da aplicação clarear as restantes. Optei assim porque o produto que tinha da Body Shop acabou, e já que ia ter de comprar outra coisa para resolver isto, preferi assim por dois motivos: consigo o mesmo fim desejado, e no inverno posso só usar a mais clara e facilmente com os restante produtos (pó, etc) consigo ajustar ao tom desejado.

Desse lado, o que já conseguiram concretizar da vossa lista de desejos para este ano?

Produtividade

Há uns dias estava a ver o vídeo sobre os 5 novos hábitos a iniciar em 2021 do canal Mariana’s Corner (um aparte, a Mariana é portuguesa e conteúdo é de qualidade, por isso fica já aqui a referência para quem gosta de ler/ver temas relacionados com produtividade), e ela menciona que a produtividade tem ciclos: às vezes conseguimos concretizar imensas coisas, e outras alturas há em que o meu dia no Google Calendário não tem uma única tarefa concluída.

Isto fez-me pensar sobre a minha realidade. Que factores influenciam estes fluxos pelos quais eu também passo, e como tentar minimizá-los. Talvez por ser inverno e estamos numa altura em que os dias estão muito frios vejo que, pelo menos nesta altura do ano, o que mais me limita é o frio: não me deixa concentrar, quando finalmente consigo focar em algo é sempre por curtos períodos de tempo, o esforço que tenho de fazer para manter essa atenção é maior, e no que toca a tarefas domésticas, a vontade de andar em cima das coisas é menor. Isto faz com que tenha dias em que tenho mil tarefas para fechar (as coisas têm de ser fechadas à mesma, quer eu as faça hoje ou amanhã), e internamente há sempre um sentimento de desilusão comigo mesma, pois sinto que consigo fazer melhor. Como este está a ser o primeiro inverno nesta casa, não tinha noção que a questão do aquecimento era tão urgente (era uma obra que estava pensada, mas mais lá para a frente).

Penso que para outras pessoas o facto de os dias serem cinzentos ou então mais curtos, também geram impacto sobre o seu bem estar geral, que por sua vez influência a sua predisposição para ser mais produtivo.

Há alguns dias resolvemos a questão do aquecimento cá de casa – falta mudar umas janelas para que o calor gerado não “fuja” – mas já sinto diferenças. Apesar de ter aquecimento há uns 4 dias, hoje já fiz mais coisas que 2 dias juntos das semana passada.

E desse lado, o que sentem que vos limita mais?

Quando começam a ler um livro e não gostam da história…

o que fazem? Fazem um esforço (hercúleo) e terminam-no, ou desistem?

Eu não consigo deixar livros a meio, mas isto acaba por fazer com que quebre o ritmo de leitura, pois acabo por demorar muito tempo com algo que numa situação normal acabaria rapidamente. Por exemplo, recentemente acabei de ler o “The Chemist” pela Stephanie Meyer e apesar de o livro ter uma pontuação de 4 estrelas no Goodreads, ao fim de 3 capítulos percebi que não ia gostar da história. A partir daí foi um problema, pois arranjava sempre algo para fazer que me desse mais gozo que investir tempo numa história da qual não estava a gostar. Então, demorei 2 meses e meio a ler algo que normalmente demoraria uma ou duas semanas para chegar ao fim e confirmar-se que aquele livro não era para mim.

P.S.: Nada contra a história. Claramente que há muita gente que gostou dela, pois tanto no Goodreads como no Amazon o feedback é positivo – o que me levou a compra-lo. Isto é meramente gosto pessoal, pois não me identifiquei com ação, só isso. Se virem que é algo dentro do que gostam, força. Não quero que sintam que isto é uma crítica ao gosto de alguém, que não é.