4 livros que gostei de ler

Como ler é um dos meus passatempos favoritos, decidi partilhar 4 livros que li e gostei. Não vou desenvolver muito sobre cada um porque não quero “estragar” a experiência para aqueles que estejam interessados nos mesmos.

Um aparte: quem é que raio faz estas traduções? Há livros cujo o título em inglês e em Português nada têm nada em comum.

Lá, Onde o Vento Chora – Where the Crawdads Sing

Lá, Onde o Vento Chora

Sinopse:

Kya tem apenas seis anos de idade quando vê a mãe sair de casa, com uma maleta azul e sapatos de pele de crocodilo, e percorrer o caminho de areia para nunca mais voltar. E à medida que todas as outras pessoas importantes na sua vida a vão igualmente abandonando, Kya aprende a ser autossuficiente: sensível e inteligente, sobrevive completamente sozinha no pantanal a que chama a sua casa, faz amizade com as gaivotas e observa a natureza que a rodeia com a atenção que lhe permite aprender muitas lições de vida.
O isolamento em que vive durante tantos anos influencia o seu comportamento: solitária e fugidia, Kya é alvo dos mais cruéis comentários por parte dos moradores da pacata cidade de Barkley Cove.
E quando o popular e charmoso Chase Andrews aparece morto, todos os dedos apontam na direção de Kya, a miúda do pantanal. E o impensável acontece.
Neste romance de estreia, Delia Owens relembra-nos que somos formatados para sempre pelas crianças que um dia fomos, e que para sempre estaremos sujeitos aos maravilhosos, mas também violentos, segredos que a natureza encerra.

A história agarrou-me de uma tal forma que penso que li o livro todo em 3 dias. Penso que acima de tudo é uma história de de esperança, em que apesar das circunstâncias difíceis existem pessoas que conseguem quebrar o ciclo em que nasceram. Penso que quem gostou do Mataram a Cotovia – How to kill a Mockingbird vai também gostar deste (em ambas as histórias a personagem principal é uma menina, vivem em estados do sul dos E.U.A., têm uma pessoa de raça negra que é uma referência nas suas vidas, etc).

Mataram a Cotovia – How to kill a Mockingbird

Mataram a Cotovia by Harper Lee

Sinopse:
Após a Crise de 1929, os habitantes da pacata Maycomb, no Alabama, são na grande maioria pequenos agricultores. Em 1932, vivem ali os irmãos Jem e Scout Finch, órfãos de mãe criados pela babá negra Calpurnia e o pai Atticus Finch, advogado íntegro e respeitado na cidade, que atende gratuitamente aos mais pobres. A infância dividida entre a escola e as fantasias acerca do vizinho, o “malvado” Sr. Radley, cede espaço ao contacto com a discriminação quando seu pai resolve defender o negro Tom Robinson, acusado de ter estuprado uma moça branca. A conservadora cidade se volta contra ele, apesar da inocência do rapaz ser evidente.

Se tiver que fazer uma lista dos meus 10 livros favoritos de sempre, este vai lá estar. Hoje olho para trás e não sei porquê que demorei tanto tempo a lê-lo (ando desde os 20 para o ler, e só o fiz com 32/33 anos). Gosto tanto do livro que tenho receio de ler o segundo livro, pois o feedback não é tão bom quanto o primeiro, e não quero que isso afete a forma como vejo a história.

Sapiens

Sinopse:
Recorrendo a ideias da paleontologia, antropologia e sociologia, Yuval Noah Harari analisa os principais saltos evolutivos da humanidade, desde as espécies humanas que coexistiam na Idade da Pedra até às revoluções tecnológicas e políticas do século XXI — que nos transformaram em deuses, capazes de criar e de destruir.

À primeira vista parece ser um livro chato de ler, mas dada a forma como este foi escrito, não é. Revi algumas coisas que demos na escola, outras aprendi e achei o conjunto (o conteúdo e a forma como este foi escrito) super interessante. Do mesmo autor quero ler também o Homo Deus, mas quero primeiro ler os livros que já tenho cá em casa antes de comprar um novo.

Longe da Árvore – Far From The Tree

undefined

Sinopse:
Um ensaio monumental sobre a diferença e a dificuldade de lidar com ela num âmbito tão estrito e íntimo como a relação parental ou filial. Uma narrativa avassaladora (e profundamente documentada teórica e empiricamente) que explora dez categorias de diversidade e compõe um extraordinário mosaico da experiência de criar filhos não ajustados às definições usuais de «normalidade».

Independentemente de terem filhos ou não, penso que esta é uma leitura interessante, pois dá-nos a conhecer perspectivas de pais que tiveram filhos diferentes (daí o título – longe da árvore, porque nem sempre a maçã cai ali ao lado). Aqui o termo diferentes é bastante amplo, pois o livro dá a perspectiva de pais que tiveram filhos que são o resultado de uma violação, filhos que nasceram com problemas de saúde física (surdez, deficiências) ou psicológica (esquizofrenia, autismo), ou que se tornaram criminosos, entre outros casos.

Para quem sentir que precisa de um empurrão para um grande passo na vida

For all of the most important things, the timing always sucks. Waiting for a good time to quit your job?The stars will never align and the traffic lights of life will never all be green at the same time. The universe doesn’t conspire against you, but it doesn’t go all out of its way to line up all the pins either. Conditions are never perfect. “Someday” is a disease that will take your dreams to the grave with you. Pro and con lists are just as bad. If it’s important to you and you want to do it “eventually” just do it and correct course along the way.

Timothy Ferriss, The 4-Hour Work Week

Quando começam a ler um livro e não gostam da história…

o que fazem? Fazem um esforço (hercúleo) e terminam-no, ou desistem?

Eu não consigo deixar livros a meio, mas isto acaba por fazer com que quebre o ritmo de leitura, pois acabo por demorar muito tempo com algo que numa situação normal acabaria rapidamente. Por exemplo, recentemente acabei de ler o “The Chemist” pela Stephanie Meyer e apesar de o livro ter uma pontuação de 4 estrelas no Goodreads, ao fim de 3 capítulos percebi que não ia gostar da história. A partir daí foi um problema, pois arranjava sempre algo para fazer que me desse mais gozo que investir tempo numa história da qual não estava a gostar. Então, demorei 2 meses e meio a ler algo que normalmente demoraria uma ou duas semanas para chegar ao fim e confirmar-se que aquele livro não era para mim.

P.S.: Nada contra a história. Claramente que há muita gente que gostou dela, pois tanto no Goodreads como no Amazon o feedback é positivo – o que me levou a compra-lo. Isto é meramente gosto pessoal, pois não me identifiquei com ação, só isso. Se virem que é algo dentro do que gostam, força. Não quero que sintam que isto é uma crítica ao gosto de alguém, que não é.